As tendências do setor de produção no mundo

O estudo A Quarta Revolução Industrial do Setor Têxtil e de Confecção: a Visão de Futuro para 2030 – explica de maneira bem clara e eficaz as crescentes dificuldades de se categorizar as tendências do setor de produção que moldarão a manufatura do setor no mundo.

Veja o documento em sua integra em:

http://www.abit.org.br/uploads/arquivos/A_quarta_revolucao_industrial_do_setor_textil_e_de_confeccao.pdf

TENDÊNCIAS ECONÔMICAS

Estima-se que na próxima década, mais de 1bi de pessoas entrarão no mercado de consumo. A tendência é que as economias ainda em desenvolvimento, irão continuar a orientar a produção de bens manufaturados. Em contrapartida, esse fato fará com que o ambiente se torne ainda mais incerto e arriscado.

A estimativa é que no setor têxtil a produção tradicional globalizada seja migrada para locais onde há custos de trabalho barato e sistema de transportes confiáveis. Para especialistas a indústria, de maneira geral, é vista como em estado de profunda mudança.

Tradicionalmente, a manufatura é vista no centro da cadeia de valor como um processo de produção no qual as matérias-primas são transformadas em produtos físicos por intermédio de atividades que envolvem pessoas e outros recursos. A estimativa é que em 2030 a indústria seja radicalmente diferente da de hoje em dia e praticamente irreconhecível do ponto de vista de trinta anos atrás. A ideia é que o termo indústria, nos próximos anos, esteja totalmente associado a sistemas ciberfísicos, autônomos, integrados e robotizados.

Uma nova ideia de valor será exigida pelos consumidores. As novas tecnologias de materiais, produtos e processos juntamente com a hibridização da manufatura com os serviços estarão obedecendo aos princípios de consumo e produção sustentável.

TENDÊNCIAS SOCIOLÓGICAS

Estima-se que a principal tendência sociológica que moldará o futuro será a Individualização e Personalização (I&P).

A ideia é que os consumidores poderão, através da internet, personalizar seus produtos com custos relativamente baixos. Teoricamente, são produtos que poderiam ser comprados por grande quantidade de consumidores, porém, seriam restritos, na prática, por pessoas habituadas com essas possibilidades e dispostas a empregar seu tempo na personalização do produto.

O acesso à informação através das plataformas digitais transformou os mercados tradicionais em espaços de mercado onde o conteúdo, contexto e infraestrutura estão recriando o conceito de valor de consumo. Com isso, será cada vez mais necessário que a manufatura explore tendências de personalização nas quais o consumidor atue como fornecedor, designer e vendedor, não somente um simples comprador.

Os avanços tecnológicos estão tornando a manufatura mais intensiva em capital e em profissionais bem formados.

TENDÊNCIAS AMBIENTAIS

As constantes pressões por parte dos consumidores e de movimentos sociais por políticas públicas e estratégias privados têm enfatizado a cultura da sustentabilidade como agregação de valor ao consumo. Até mesmo em países como China se estabeleceu alguns limites aos

Impactos ambientais e à exploração do trabalho em seu processo de produção. Há uma estimativa que cresça ainda mais a tendência de criação de tecnologias que influenciem na reciclagem dos produtos.

TENDÊNCIAS TECNOLÓGICAS

Todas as tendências apresentadas até aqui estimam um aumento tecnológico na manufatura. A ideia é que a integração digital associada à robotização com o apoio de computadores e de sistemas de informação disseminarão novos processos radicais de transformação no setor.

A moda é um fenômeno dinâmico, ou seja, projeta e realiza mudanças nos ambientes culturais, sociais, políticos, econômicos e estéticos. O uso das tecnologias de informação e comunicação ainda precisam ser bem mais explorados no seguimento de moda e essa é a tendência tecnológica para o futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *