Vacinação contra pólio e sarampo continua em Muriaé

Prefeitura já imunizou 62% de crianças de 1 ano e menores de 5 contra estas doenças; doses estão sendo aplicadas nas UBS’s e Centro de Vacinação

A Campanha de Vacinação contra a Pólio e o Sarampo continua em Muriaé. As doses estão sendo aplicadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e no Centro Municipal de Vacinação, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30min. A Prefeitura já imunizou 62% do público-alvo, que compreende crianças de 1 ano e menores de 5 anos, com o objetivo de proteger os muriaeenses contras estas doenças.

Até terça-feira (21), foram aplicadas 3.156 doses. Este percentual está acima do nível nacional, que atualmente é de 53%. A meta é vacinar 95% do público-alvo, para reduzir a possibilidade de retorno da pólio e a chamada reemergência do sarampo, doenças já eliminadas no Brasil.

A campanha prossegue até 31 de agosto. A coordenadora Municipal de Imunização, Priscila Secco, frisa a importância da vacinação contra a pólio e o sarampo. “Solicitamos aos pais que levem seus filhos para tomar a vacina, pois ela é a garantia de proteção contra estas doenças”, diz.

Serviço

Vacinação contra poliomielite e sarampo:

Data: até 31 de agosto

Local: Unidades Básicas de Saúde de Muriaé e Centro Municipal de Vacinação (localizado ao lado do Terminal Rodoviário, Centro)

Dias: de segunda a sexta-feira

Horário: das 8h às 16h30min

Público-alvo: crianças de 1 ano a menores de 5 anos

Vacinação gratuita

É necessário apresentar cartão de vacina

Programa de triagem de infarto tem início no Prontocor

 No mês em que comemora 35 anos de existência, o Hospital Prontocor, de Muriaé, anunciou uma parceira com a Lumen Foundation e a ITMS para combater uma das doenças cardíacas que mais mata em todo o mundo: o infarto agudo do miocárdio. O Programa LATIN, apresentado na última quinta-feira (16) para prefeitos e secretários de saúde da região, a jornalistas e a profissionais de saúde, teve início nesta segunda-feira (20).

Realizado em várias cidades de países vizinhos e presente em mais de 15 municípios brasileiros, o LATIN é uma parceria acadêmico-científica que possui o objetivo de desenvolver uma rede de comunicação entre profissionais de saúde, chamada Telemedicina. Por meio dela, o programa oferece um gerenciamento abrangente e economicamente viável para identificar casos de infarto, aumentando as chances de sobrevida dos pacientes.

Utilizando dispositivos de telecomunicações especiais, o Latin America Telemedicine
Infarct Network (Rede Latino-Americana de Telemedicina para Infarto) conectará unidades de tratamento básico e ambulâncias ao Prontocor. Os socorristas de emergência transmitirão, em tempo real, dados do paciente a cardiologistas de plantão 24 horas na central do sistema que irão fornecer um diagnóstico preciso, além de recomendar o tratamento pré-hospitalar antes de a pessoa chegar ao hospital. Com este diagnóstico em mãos, os médicos podem iniciar o tratamento com muito mais rapidez e eficiência, elevando as chances de salvar vidas ou de impedir que o infarto cause grandes sequelas ao paciente.

“Se uma pessoa estiver passando mal em Além Paraíba, por exemplo, poderemos, por meio da Telemedicina, empregada no Programa LATIN, diminuir o tempo de diagnóstico e tratá-la com muito mais eficiência”, salienta Ewerton de Souza Abreu, cardiologista que em conjunto com Dr. Caio Augusto Carvalho, são responsáveis por desenvolver o programa na região.

A Telemedicina promove o intercâmbio de informações médicas de um local a outro via comunicações eletrônicas para melhorar o estado de saúde clínica do paciente. Permite que um tratamento cardíaco que salva vidas tenha início na unidade de tratamento básico ou na ambulância e não na chegada ao hospital. Inicialmente, a previsão é conectar ao programa 400 mil pessoas já atendidas em unidades básicas de saúde e outros sistemas de saúde.

Com o LATIN, o Prontocor espera ajudar mais pessoas de toda a região, já que facilitaráo contato entre o cardiologista e o socorrista. Com mais de três décadas atuando na Zona da Mata, o hospital é referência em tratamento cardiovascular, com mais de 20 mil procedimentos invasivos, além de cirurgias de alta complexidade.

Durante a coletiva na quinta-feira (16), Dr. Ewerton disse que o Programa LATIN faz uso de tecnologia e velocidade de transmissão de dados para que seja possível detectar à distância um paciente que esteja sofrendo um infarto. “O objetivo é identificar um paciente de forma rápida e eficiente, acionando, simultaneamente, uma rede online, facilitando o atendimento e desobstruindo a artéria em um tempo menor do que aquele que é tradicionalmente gasto, garantindo a recuperação e a qualidade de vida do paciente. O Centro de Tratamento do Programa será no Prontocor, mas existem aparelhos de eletrocardiograma e de Telemedicina espalhados em várias cidades da região como Além Paraíba, Leopoldina, Recreio e Visconde do Rio Branco, onde as equipes passaram por treinamentos de como alimentar o sistema de dados do Programa. É importante salientar que toda essa rede de informações, com aparelhos de Telemedicina e eletrocardiograma, utilizados por um médico cardiologista, especializado em infarto, é disponibilizada de forma gratuita para os hospitais e para as redes de saúde e não existem recursos públicos incluídos no projeto”, conta.

Odilon Paiva Carvalho, cardiologista e diretor do Prontocor, disse que com a implantação do Programa LATIN no Prontocor, os pacientes de Muriaé e demais cidades serão tratados mais rapidamente. Além de salvar vidas, o Programa permitirá um tempo de internação mais ágil, evitando sequelas. O objetivo é aumentar o número de pacientes tratados mensalmente, não importando se ele conta com planos de saúde ou com o SUS”, diz.

O cardiologista do Prontocor, Caio Augusto de Carvalho, agradeceu a presença de todos os que compareceram na coletiva de lançamento do Programa LATIN. “Agradeço aos nossos parceiros que contribuíram para a implantação deste projeto. Lembrando que o Programa LATIN só se tornou viável graças à estrutura do Prontocor. O hospital, de uns anos para cá cresceu muito e se tornou referência na região. Dessa forma, agradeço aos nossos parceiros que acreditaram no nosso trabalho e depositaram a confiança na implantação deste Programa que é referência no Brasil e na América Latina. É com grande satisfação que damos início a este projeto que vai ajudar muito Muriaé e região. O objetivo principal do Programa LATIN é colocar em prática aquilo que já fazemos no nosso dia a dia: atender casos de urgência e emergência junto ao SAMU, de forma otimizada e com qualidade, todos os pacientes independente de sua classe social. Para isso, precisamos do apoio de todos do Poder Público”, conta.

Conferência municipal discute sobre direitos da criança e do adolescente

Evento promovido pela Prefeitura e CMDCA apresentou alternativas para proteção de crianças e jovens muriaeenses

 Discutir sobre os direitos da criança e do adolescente em Muriaé foi um dos objetivos da Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Promovida pela Prefeitura e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), com apoio do Centro Universitário e Conselho Municipal de Juventude, na última quinta e sexta-feira (16 e 17), a décima edição debateu sobre proteção integral, diversidade e enfrentamento das violências sofridas por este público.

Com abertura oficial na noite de quinta-feira, no Teatro Zaccaria Marques, as atividades se estenderam na sexta-feira, no Unifaminas, incluindo apresentações culturais com as crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e palestra da coordenadora de Políticas Pró-Criança e Adolescente da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, Célia Nahas. “A Conferência é um momento muito importante de debate, pois é quando direcionamos os próximos passos para a consolidação da política pública para proteger as nossas crianças e adolescentes”, considera.

A presidente do Conselho Tutelar de Muriaé, Kátia Campos, frisa a importância da Conferência. “Em eventos como este nos reunimos para discutir o que pode ser feito para melhorar as políticas públicas. Não basta somente fazer valer os direitos das crianças e adolescentes, nós temos que dar oportunidades a eles. É por meio de conferências que vamos conseguir implementar essas oportunidades, com a opinião de usuários dos serviços e de profissionais”, diz.

Muriaé apresenta propostas de proteção a crianças e adolescentes

Ao final, houve eleição de delegados que vão representar a cidade na Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente em 2019. Também foram apresentadas propostas, que serão analisadas e votadas na etapa estadual da conferência no próximo ano. “Nossa gestão está empenhada em construir projetos para nossas crianças e adolescentes. Já avançamos na construção de políticas públicas, e vamos aprimorar ainda mais os serviços, para cuidar e zelar pela infância e juventude de Muriaé”, afirma o prefeito Grego, presente na abertura do evento.

Prefeitura paralisa atividades nesta terça para protestar contra Estado

As atividades no Centro Administrativo de Muriaé foram paralisadas nesta terça-feira (21), em apoio à mobilização geral das prefeituras que estão acontecendo por toda Minas Gerais. De acordo com o setor de Comunicação da Prefeitura de Muriaé, objetivo é alertar a população sobre o atraso no repasse de verbas do Estado para os municípios mineiros, mostrando o impacto nas contas das prefeituras e as consequências graves que esse confisco pode causar.

Em relação a Muriaé, a dívida do Estado já soma R$58.182.885,23 (dados atualizados em 16 de agosto). Esse valor total se refere a atrasos nas áreas de Educação, Saúde, Assistência Social e também de verbas de ICMS, que vêm deixando o município com cada vez mais dificuldades para honrar seus compromissos.

Segundo a Prefeitura de Muriaé, o valor da dívida seria suficiente para ações como: manter a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) em funcionamento durante sete anos sem interrupção; construir 116 novas unidades básicas de saúde; pagar 60.988 salários mínimos; comprar 16 milhões de litros de leite ou 5 milhões de sacos de arroz; adquirir 1.800 carros populares.

Confira os valores da dívida que o Estado tem com Muriaé em cada área:

SAÚDE: R$ 49.271.577,48

EDUCAÇÃO (FUNDEB): R$ 7.434.306,77

ICMS: R$ 914.720,57

ASSISTÊNCIA SOCIAL: R$ 368.240,40

TRANSPORTE ESCOLAR: R$ 194.040,00

TOTAL: R$ 58.182.885,23

Créditos: ASCOM PMM

Encontro conscientiza sobre importância do atendimento humanizado na gestação

Encontro promovido pela prefeitura e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM) esclareceu mulheres e profissionais sobre a importância do atendimento humanizado na gestação. No evento, realizado na terça-feira (14), no Centro Administrativo e na AABB, também foram discutidos temas como amamentação, o trabalho das doulas (pessoa que orienta e assiste a mulher no parto), plano de parto, Lei do Acompanhante e violência obstétrica, a fim de contribuir para a redução das intervenções e complicações durante o parto, bem como facilitar o vínculo entre mãe e bebê.

Pela manhã, o encontro realizado no Centro Administrativo foi direcionado para profissionais da saúde, além de estudantes das áreas afins, para debater sobre humanização do atendimento às gestantes e puérperas em situação de vulnerabilidade. À tarde, o evento contou com a presença de mães e população em geral na AABB, a fim de discutir sobre parto humanizado e suas vertentes. Durante o encontro, houve a participação da cantora Bruna Morena.

Para a dentista Juliana Chagas, que está à espera de seu segundo filho, a iniciativa foi importante para obter esclarecimentos sobre partos e atendimento gestacional. “Foi um evento rico, pois levou informação, que é o bem maior na gestação, para quem tem interesse em fugir da cesárea sem indicação correta e ter o parto humanizado, normal ou natural”, conta.

O conteúdo foi repassado pelas doulas Bárbara Morena e Tainã Vidon (também consultora em Aleitamento Materno). Tainã frisa a importância de se reunir mulheres e futuras mamães para discutir sobre atendimento humanizado na gestação. “Pelos relatos que coleto na cidade, a assistência às gestantes é ultrapassada. Elas são submetidas a uma série de procedimentos desnecessários, comprovados cientificamente. Por isso a importância deste evento, que foi uma oportunidade de troca de experiências e de informações sobre seus direitos. A humanização no parto só vai acontecer a partir da demanda feminina. É a mulher que vai mudar o sistema”, diz.

“Foi um momento de grande aprendizado sobre o trabalho das doulas, que contribui para o bem-estar físico e emocional das gestantes. Além disso, esclareceu dúvidas sobre o parto humanizado na gestação, amamentação do bebê e também disseminou conhecimento às mulheres e companheiros presentes. Esse é só o primeiro passo. Teremos muitos momentos como este. A proposta será criar uma agenda permanente de ações com gestantes, possibilitando empoderamento e transformação”, completa a secretária executiva de Controle Social e responsável pela articulação de conselhos da secretaria municipal de Desenvolvimento Social, Raquel Nunes.

Créditos: ASCOM PMM

Campanha busca evitar atuação de “flanelinhas” em Muriaé

A prefeitura de Muriaé iniciou, na última semana, a campanha “Não Dê Dinheiro para os Flanelinhas”. A ação de abertura, que mobilizou equipes da secretaria de Desenvolvimento Social e do Demuttran, contando também com apoio da Polícia Militar, aconteceu na quarta-feira (8), com panfletagem no Mercado do Produtor Rural. A iniciativa vai promover o encaminhamento dos chamados “flanelinhas” (pessoas que fazem de maneira irregular o controle de vagas para veículos em locais de grande movimentação) para os dispositivos de assistência social existentes na cidade, além combater a cobrança indevida de estacionamento nessas áreas.

A coordenadora do Serviço de Abordagem Social da Prefeitura, Arianne Lima, conta que a ideia de promover a campanha surgiu após o recebimento de denúncias feitas pelos frequentadores da feira. “Constatamos que grande parte das pessoas que estavam atuando no controle de vagas no Mercado do Produtor Rural vivem em situação de rua”, afirma. “Então, a nossa ação as orientou a procurar os diversos serviços que temos à disposição. São dispositivos com diferentes finalidades, que vão desde a realização de atividades de convívio social até o oferecimento de uma melhor qualidade de vida para dependentes químicos”, completa.

O trabalho informal como flanelinha não é regulamentado por lei na cidade, sendo, portanto, considerado como contravenção penal. Assim, apenas a Administração está autorizada, por conta própria ou por meio de contratos firmados com terceiros, a realizar o controle de estacionamento em locais públicos, ficando os infratores sujeitos a multas e até prisão. “Enquanto não houver autorização para que as pessoas possam realizar este tipo de serviço, ele não pode acontecer em hipótese alguma”, informa o chefe do Departamento de Análise e Gestão de Trânsito do Demuttran, Jackson Fernandes. Segundo ele, além da região da feira, a atuação irregular também se observa, em dias de eventos, nas proximidades do Estádio Soares de Azevedo e do Parque de Exposições.

De acordo com relatos de muriaeenses que frequentam a feira, a abordagem dos flanelinhas nem sempre é pacífica. “Já houve uma ocasião em que colocaram um cavalete na frente do meu carro e exigiram pagamento para me deixar sair da vaga”, lembra a dona de casa C.F., de 52 anos. Já o empresário J.T., de 47 anos, afirma nunca ter tido problemas. “Jamais me senti pressionado ou obrigado a contribuir com dinheiro”, diz.

 

Créditos: ASCOM PMM

Vitor Hugo: o Homem Aranha da radioterapia

Vitor Hugo tem apenas seis anos de idade, mas já venceu muitas batalhas. O menino luta contra uma neoplasia no sistema nervoso central. Quando iniciou seu tratamento no Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella, Vitor Hugo foi operado pelo cirurgião neurologista, Philipe Sigilião e deu continuidade com quimioterapia e radioterapia.

Nesta quarta-feira (8), para a alegria do garoto e da mãe, Vitor Hugo realizou sua última sessão de radioterapia, um tratamento capaz de destruir células tumorais através de feixes de radiação emitidos em determinadas doses diretamente na área afetada. Vitor Hugo passou por 28 sessões e em cada uma delas ele deveria ficar imóvel. Para um adulto, ficar imóvel pode não parecer muito complicado, mas para uma criança de seis anos, não era uma tarefa fácil. Nesse caso, o anestesista ficava à disposição para sedar o paciente de forma que o tratamento pudesse ocorrer sem problemas. Com Vitor Hugo, a sedação ocorreu nas três primeiras sessões e para a surpresa de todos, as outras vinte e cinco sessões, Vitor Hugo ficou imóvel.

“Vitor Hugo cativou a todos! No primeiro dia de tratamento, ele veio todo fantasiado de Homem Aranha, daí surgiu a ideia da máscara de Homem Aranha”, contou a técnica do setor. A máscara de termoplástico, que todos os pacientes que tratam tumores de cabeça e pescoço usam durante as sessões, aos poucos foi se transformando na máscara do Homem Aranha, o super-herói preferido do menino. As técnicas em radiologia, Joanita e Vania, em parceria com o setor de Humanização do hospital, conseguiram a tinta antialérgica e pintaram a máscara. De acordo com o coordenador do setor de Humanização, João Motta, ações como essa são de extrema importância no quesito transversalidade, pois amplia o grau de contato e da comunicação entre os colaboradores reconhecendo assim que as diferentes especialidades e práticas podem conversar com a experiência daquele que é assistido.

A cada sessão, a máscara ganhava uma parte pintada e nesta quarta-feira, Vitor Hugo finalmente pôde levá-la para casa.

Créditos: ASCOM FCV

Prefeitura de Muriaé envia nota sobre prêmio concedido à secretária de Educação

Na segunda-feira (6) a Prefeitura de Muriaé enviou uma nota sobre o caso do prêmio concedido à secretária municipal de Educação, Maria da Conceição Rodrigues de Souza, a Nininha.

Exibida no último domingo (5), no programa Fantástico, da Rede Globo, uma reportagem mostrou que premiações de dois institutos seriam suspeitas. Com isso, a produção do programa concluiu a existência de um esquema por trás das premiações concedidas a prefeitos, vereadores e secretários municipais.

Segundo a reportagem do Fantástico, as medalhas, que classificam os gestores em um suposto ranking após uma pesquisa de opinião pública, eram concedidas mediante pagamento. “As empresas que fornecem os prêmios são a União Brasileira de Divulgação, ou UBD, de Pernambuco, e o Instituto Tiradentes, de Minas Gerais. Juntas, as duas instituições promovem até 20 premiações por ano”, conta a matéria exibida no domingo.

Em julho deste ano a assessoria de imprensa da Prefeitura de Muriaé divulgou uma matéria sobre a premiação, que foi anunciada pelo jornal A Notícia e demais veículos de comunicação da cidade.

A matéria dizia que a secretária municipal de Educação, Maria da Conceição Rodrigues de Souza, “foi indicada para receber o prêmio destinado aos 100 melhores secretários de educação do Brasil nos primeiros 180 dias da gestão em 2018, de acordo com pesquisa nacional de utilidade pública realizada nas áreas de infraestrutura, transparência pública e responsabilidade fiscal da UBD, que tem por finalidade divulgar os melhores gestores do país que atendem aos requisitos de excelência em gestão pública”.

A premiação aconteceu durante o 17º Seminário “Os melhores do Brasil por um Brasil melhor”, no dia 27 de julho, em Recife.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação à homenagem recebida pela secretária Municipal de Educação, Esporte e Lazer de Muriaé, a Sra. Maria da Conceição Rodrigues de Souza, Nininha, informamos que a mesma foi procurada diretamente pela empresa responsável. Na ocasião, a empresa informou à gestora sobre sua classificação em ranking realizado, segundo a organização, por meio de pesquisas de opinião pública, convidando-a para o evento de reconhecimento do mesmo. O município de Muriaé não teve nenhum gasto financeiro em relação ao evento.

Tais informações evidenciam que a secretária de Educação, Esporte e Lazer de Muriaé, assim como tantos outros homenageados, foi vítima de ato de má-fé praticado pela empresa responsável.

Com cerca de 40 anos de carreira dedicada à educação, a secretária Nininha sempre teve seu trabalho como professora, diretora escolar e, agora, gestora pública, reconhecido na cidade. A exemplo da questão profissional, também tem sua vida pessoal marcada por condutas corretas e ilibadas. Desde janeiro de 2017, na função de secretária Municipal, vem prestando relevantes serviços à nossa cidade e, também por este motivo, tem a solidariedade e confiança da Administração Municipal.