Academia Muriaeense de Letras lança sua primeira revista

Arquivo pessoal/Facebook AMLE
Arquivo pessoal/Facebook AMLE

As ações da Academia Muriaeense de Letras, desde o seu surgimento até os dias atuais, foram eternizadas em uma revista. No periódico, pode-se encontrar o histórico da academia (de 2012 a 2015), os acadêmicos e patronos, a instalação e posse, um tributo ao patrono da AMLE, Paulo Fraga, além de registros e fotos de eventos que os acadêmicos participam.

“Esta edição, carinhosamente nomeada por nós da diretoria como Edição Histórica, visa apresentar os acadêmicos e seus patronos, a estrutura da academia, o estatuto, os principais eventos e atividades realizadas desde 2012, quando na sala da Biblioteca Municipal, num esforço conjunto com pessoas de boa-fé, com apoio da Fundarte, a academia foi aos poucos sendo criada e alicerçada”, conta a presidente da AMLE, Valéria Cristina Monteiro de Barros Fernandes.

Com o lema “Ars una, species mile” (“A arte é única, muitas as espécies”, na tradução em português), a revista, segundo a presidente, expõe de forma enfática o perfil da academia. “Somos 30 acadêmicos, dotados de particularidades especiais, diferentes estilos, grande conhecimento e, sobretudo, dotados de mentes valiosas, que aqui se somaram, se multiplicaram, para estar representando, culturalmente, a sociedade muriaeense e região, também com esta primeira edição”, afirma.

A AMLE é uma associação civil sem fins lucrativos cuja finalidade é a difusão dos valores culturais que engrandecem a pessoa e suas manifestações como o ser, o culto da língua e da literatura em suas diversas manifestações.

Com o lançamento da revista cuja proposta inicial é de tiragem bimestral, a presidente afirma que se estará veiculando o pensamento, o conhecimento artístico, cultural e literário dos acadêmicos. “Além de entusiastas e sonhadores, poetas, escritores, articulistas, mestres da língua e escrita, historiadores, contadores de ‘causos’ e artistas, seremos sempre para a AMLE pessoas de boa-fé. E assim gostaríamos de ser eternizados”, diz.

Arquivo pessoal/Facebook AMLE
Arquivo pessoal/Facebook AMLE

Durante o lançamento da revista, que aconteceu no dia 20 de dezembro, no Teatro Belmira Vilas Boas, também foram empossados três novos membros que foram convidados e aprovados pela academia, de acordo com o seu estatuto: Emília Castro Montezano Goulart (cadeira nº 6 – patrono Lúcio Gusman), Elder José Dala Paula Abreu (cadeira nº 8 – patrono Antônio Viçoso Magalhães) e Avany Barros da Silva Melo (cadeira nº 14 – patrono Lydio Machado Bandeira de Mello).

As capas/vestimentas oficiais da AMLE foram doadas pela Escola Estadual Engenheiro Orlando Flores, e na solenidade, cada um recebeu a sua para representar a academia e usá-las oficialmente.

Espetáculo de dança leva o público ao embalo dos musicais

DSCN4339Completando dez anos de atividades, a Escola Municipal de Dança Jorge Rodrigues Barroca apresentou um tributo aos musicais clássicos e seus protagonistas. Foram 18 coreografias embaladas por canções que povoam o imaginário das mais diversas gerações. Da magia da Disney aos grandes sucessos da Broadway, o palco do Colina Country Club foi o lugar onde os sonhos se tornaram realidade para 140 bailarinos aprendizes, encantando o público numa celebração à dança, à música, à fantasia e à imaginação.

Wallyson Malaquias, ex-aluno da Escola Municipal de Dança Jorge Rodrigues Barroca. Atualmente, é integrante do Grupo Experimental de Dança (GED) da ONG Corpo Cidadão, do renomado Grupo Corpo de Dança, de BH
Wallyson Malaquias, ex-aluno da Escola Municipal de Dança Jorge Rodrigues Barroca. Atualmente, é integrante do Grupo Experimental de Dança (GED) da ONG Corpo Cidadão, do renomado Grupo Corpo de Dança, de BH

A abertura do espetáculo, que aconteceu na noite de terça-feira (15), foi feita pelo muriaeense Wallyson Malaquias, que é ex-aluno da Escola Municipal de Dança Jorge Rodrigues Barroca. Atualmente, é integrante do Grupo Experimental de Dança (GED) da ONG Corpo Cidadão, do renomado Grupo Corpo de Dança, de Belo Horizonte, do Grupo de Formação Círculo da Dança e do Studio de Dança It.

O prefeito Aloysio Aquino e a diretora geral da Fundarte, Gilca Napier, assistiram ao espetáculo. Eles disseram estar encantados com a performance dos alunos bailarinos.

Primeiro ano de atividades do Teatro Belmira Vilas Boas é comemorado com peça de renome nacional

DSCN3389O primeiro ano de atividades do Teatro Municipal Belmira Vilas Boas foi comemorado em grande estilo, com a apresentação da “Hominus Brasilis”, uma peça de renome nacional e que já foi apresentada em grandes teatros brasileiros e, inclusive, no exterior.

Sobre uma plataforma de dois metros e usando o trabalho do corpo somado à sonoplastia vocal, quatro atores – Helena Marques, Matheus Lima, Dio Cavalcanti e Patricia Ubeda – contam a história da humanidade, do Big Bang até os dias atuais. Não há cenário, nem adereços. Apenas com o corpo e vozes, e sem a ajuda de outros recursos cênicos, a peça apresenta um olhar irreverente sobre a trajetória humana, permitindo que a plateia identifique facilmente as figuras e momentos marcantes da história da humanidade.

Com duração de 60 minutos, a peça, da Companhia de Teatro Manual – um grupo de teatro profissional do Rio de Janeiro -, pincela grandes momentos da humanidade e convida o espectador a se emocionar com o surgimento da vida, a extinção dos dinossauros, a expansão marítima da Europa, as grandes guerras e também eventos que marcaram a história brasileira, como a chegada dos portugueses, a escravidão, a Ditadura Militar e a repentina morte de Ayrton Senna.

Peça “Hominus Brasilis” comemora o primeiro ano de atividades do Teatro Belmira Vilas Boas

Peça “Hominus Brasilis” comemora o primeiro ano de atividades do Teatro Belmira Vilas Boas
Foto: Divulgação

Em apresentação única nesta sexta-feira (4), às 21 horas, a peça “Hominus Brasilis”, da Companhia de Teatro Manual, fará parte das comemorações do primeiro ano de atividades do Teatro Municipal Belmira Vilas Boas.

Sobre uma plataforma de dois metros e usando o trabalho do corpo somado à sonoplastia vocal, quatro atores – Helena Marques, Matheus Lima, Dio Cavalcanti e Patricia Ubeda – contam a história da humanidade, do Big Bang até os dias atuais. Não há cenário, nem adereços. Apenas com o corpo e vozes, e sem a ajuda de outros recursos cênicos, a peça apresenta um olhar irreverente sobre a trajetória humana, permitindo que a plateia identifique facilmente as figuras e momentos marcantes da história da humanidade.

Com duração de 60 minutos, a peça pincela grandes momentos da humanidade e convida o espectador a se emocionar com o surgimento da vida, a extinção dos dinossauros, a expansão marítima da Europa, as grandes guerras e também eventos que marcaram a história brasileira, como a chegada dos portugueses, a escravidão, a Ditadura Militar e a repentina morte de Ayrton Senna.

O ingresso custa R$ 15,00. A peça não é recomendada para menores de 10 anos.

Bailarina muriaeense apresentará espetáculo de dança no Teatro Belmira Vilas Boas

Caroline durante apresentação na África com o Grupo Oito (Foto: Goethe-Institut Kenya/ Sabine Bretz)
Caroline durante apresentação na África com o Grupo Oito (Foto: Goethe-Institut Kenya/ Sabine Bretz)

A bailarina muriaeense, Caroline Alves, apresentará neste domingo (29), às 20h30min, no Teatro Belmira Vilas Boas, o espetáculo “UAU: happening now” de dança contemporânea.

A concepção e interpretação do espetáculo são da própria bailarina e conta com a assistência de direção e dramaturgia de Miro Wallner. “UAU: happening now” é feito por acontecimentos concretos e inventados e formado por afetos, situações cotidianas, memórias e conflitos.

Os ingressos antecipados podem ser adquiridos na loja Le Petit, localizada na Rua Barão do Monte Alto, 70, loja 16.

A BAILARINA – Caroline Alves é bailarina, coreógrafa e professora de dança contemporânea com sede em Berlim/Alemanha. Após iniciar os seus estudos em dança clássica e jazz, em 1998, na Academia Valéria Bruno, mudou-se em 2004 para Belo Horizonte, onde continuou seus estudos em dança contemporânea integrando o Grupo Experimental do 1º Ato.

Ainda em Belo Horizonte, atuou por sete anos como bailarina da Cia de Dança Palácio das Artes.

Nos últimos anos, Caroline tem desenvolvido o seu trabalho na cena independente como dançarina e pesquisadora e trabalhou também com diferentes coreógrafos, como Ricardo de Paula (BR/AL) e Alba Lorca (Espanha), tendo se apresentado por cidades da Europa e da África.

Ao longo da sua carreira profissional, vem desenvolvendo experimentos com improvisação e composição no campo da dança contemporânea.

Atualmente, faz parte do Grupo Oito (Berlim). Seus últimos trabalhos autorais foram “Unset” (2013) e “DOCH!” (2015), apresentados no projeto “Oito Solos + 1″, produzido pelo Grupo Oito em parceria com o Hoftheater Kreuzberg, em Berlim.

IV Conferência Municipal de Cultura acontece no próximo sábado

IV Conferência Municipal de Cultura acontece neste sábado“Plano Municipal de Cultura – Muriaé construindo seu futuro” será o tema da IV Conferência Municipal de Cultura, que acontece no próximo sábado (28), a partir das 8h, no auditório do CD Moda, Centro. Estão convidados a participar agentes, artistas, multiplicadores e militantes culturais do município.

A Conferência é uma realização da Prefeitura Municipal de Muriaé, da Fundarte e do Conselho Municipal de Políticas Culturais e será presidida pela diretora da Fundarte, Gilca Napier.

Exposição faz releitura dos contos de fadas em fotografia, moda e beleza

exposição encantadasUma exposição que está em cartaz na Galeria Mônica Botelho, no Grande Hotel Muriahe, leva ao público a magia dos contos de fadas. “Encantadas” traz uma releitura das histórias mais famosas do mundo em fotografia, moda e estilo. A exposição, que foi aberta no domingo (8), contou com a presença das modelos caracterizadas como princesas.

O projeto é uma criação da fotógrafa Thamires Turunem, da designer de moda, Larissa Donato Couto e da maquiadora e hair stylist, Mariana Pereira. O objetivo é proporcionar um momento de cultura e lazer para a população muriaeense. Além disso, a mostra também oferece uma experiência mágica para as crianças, aproximando-as dos contos de fadas e das princesas, interpretadas por jovens da cidade. Essa também é uma forma de mostrar o trabalho dos profissionais da região, a beleza e a diversidade da população.

Foto: Thamires Turunem
Foto: Thamires Turunem

“Encantadas” conta com ensaios inspirados nos contos “Alice no País das Maravilhas”, “Branca de Neve”, “A Bela e a Fera”, “Pocahontas”, “Valente”, “A Bela Adormecida”, “A Princesa e o Sapo” e “Cinderela”.

A mostra fica em cartaz até janeiro de 2016. A entrada é gratuita.

Espetáculo “Portinari em Movimento” será reapresentado nesta quinta-feira, no Belmira Vilas Boas

12039367_699221463541202_5143367065477793457_nNesta quinta-feira (29), às 19h, no Teatro Municipal Belmira Vilas Boas, tem reapresentação de quadros do espetáculo “Portinari em Movimento”. Os ingressos custam R$ 5,00 e estão à venda com alunos da Escola Municipal de Dança. Todo o valor arrecadado será em benefício do custeio de figurinos para o espetáculo deste ano.

Além desta quinta-feira, o espetáculo será apresentado, também, nos dias 12 e 19 de novembro, no Belmira Vilas Boas.