Teatro Belmira Vilas Boas será palco do show “Por causa de você” neste sábado

Apresentação homenageia 85 anos de Dolores Duran/ Foto: Divulgação
Apresentação homenageia 85 anos de Dolores Duran/ Foto: Divulgação

Max Robert e Marcê Porena apresentam, neste sábado (24), no Teatro Municipal Belimira Vilas Boas, o repertório de uma das mais importantes artistas brasileiras. O show “Por causa de você”, que acontece às 21h, em apresentação única, homenageia os 85 anos de Dolores Duran.

A artista morreu aos 29 anos e sua carreira, embora breve, foi marcante para a música. A cantora tem um grande número de regravações, mas o show é uma homenagem à compositora, que tem uma obra impecável com grandes clássicos, como “Estrada do sol”, “Por causa de você”, em parceria com Tom Jobim, e “A noite do meu bem”, que neste show é apresentada com uma formação de violão, voz e instrumentos virtuais como flauta, clarinete, harpa, tocados e arranjados por Max Robert.

“Interpretar a Dolores é um desafio, pois suas músicas mexem muito comigo, me deixam à flor da pele. Difícil não se envolver com a obra dela. Escolhi homenageá-la porque cresci escutando suas composições e elas sempre me emocionaram. A força de suas canções atravessa décadas e cada vez se faz mais necessário falar de amor como ela fez. ‘Por causa de você’, título desse show, era a música que minha mãe cantarolava em casa e desde o início de minha carreira existia o desejo de poder interpretá-la”, conta a cantora e compositora Marcê Porena.

A homenagem a uma das mais importantes artistas brasileiras acontece desde 2009 e já viajou por diversas cidades do Brasil. O repertório do show conta com 15 canções, todas de autoria de Dolores Duran solo ou em parceria. “Quem me apresentou a obra toda de Dolores foi a Marcê. Ao ouvi-la, me deparei com uma raríssima beleza. Estava frente a frente com uma artista autodidata, mas com uma riqueza imensa de melodia e poesia”, afirma Max Robert, compositor, instrumentista e arranjador.

Os ingressos podem ser adquiridos no Teatro Municipal. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3721-0111.

SOBRE MAX ROBERT E MARCÊ PORENA:

Max é paulista, radicado no Rio de Janeiro, foi integrante do grupo de rock “O Terço”. É parceiro de palco de artistas como Danilo Caymmi, Guinga e a cantora Jane Duboc. Sua discografia solo totaliza cinco CD’s, dois deles lançados com o grupo “O Terço”. É o responsável pelos arranjos do show “Por causa de você” e da trilha da peça “O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna.

Marcê começou cantando em bares com grupos de MPB. Gravou, em 2005, uma participação no CD “Todo Bossa” ao lado de Danilo Caymmi, Guinga e Jane Duboc. Em 2007, participou no documentário argentino de música brasileira “Música Del Terceiro Milênio”. Em 2009 estreou o seu show solo “Por causa de você”. Viajou também pelo Brasil como convidada especial do show “Instrumentos e Canções”, de Max Robert e Guinga. Em 2011, participou da remontagem da opereta “Flor Tapuya”, de Pixinguinha e em 2012, do musical brasileiro “Histórias de Alexandre”, baseado na obra de Graciliano Ramos, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro e Brasília.

Filmes que foram gravados na cidade e tem muriaeense no elenco são lançados em Muriaé

Filmes que foram gravados na cidade e tem muriaeense no elenco são lançados em MuriaéDois curtas-metragens que foram gravados no município e têm muriaeense no elenco foram lançados na cidade. Os filmes “A delirante história de um homem morto” e “Soldado de uma guerra vazia”, da produtora carioca Wallaroo Corp, foram apresentados ao público na noite da última sexta-feira (9), no Teatro Zaccaria Marques.

O lançamento contou com a presença dos diretores de cinema, Daniel Gravelli e Paulo Oliveira. O ator Cléverson Soares, que é de Muriaé, teve participação na produção e foi assistente de direção de ambos os curtas, os quais foram gravados no município em novembro de 2014 e, em breve, participarão de festivais do gênero.

Outro curta exibido foi “Cinzas e Café”, ambientado no famoso bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. O filme conta com as participações da atriz Helga Nemeczyk, que já integrou o elenco do programa Zorra Total, da TV Globo, Erom Cordeiro (antagonista de Supermax, nova série da mesma emissora) e André Ramiro (“Tropa de Elite”).

Em todas as histórias são exploradas as complexidades psicológicas dos personagens e os dramas vivenciados por eles, tais como solidão, claustrofobia, medo, segredos e amor.

Os diretores e produtores, Daniel Graveli e Paulo Oliveira, contam que escolheram lançar os filmes na cidade porque foi onde os curtas foram gravados. “Fomos muito bem recebidos em Muriaé. As pessoas nos apoiaram e acreditaram nos projetos. Muriaé merecia esse respaldo, por ter ‘abraçado’ o projeto. É uma cidade em crescimento e que precisa desses ‘abraços’ culturais”, dizem, afirmando que têm a intenção de trazer um novo projeto – um longa-metragem – para o município.

O ator muriaeense, Cléverson Soares, afirma que está orgulhoso dos filmes terem sido gravados e lançados na cidade. “Poder dar esse primeiro passo é muito importante. Tenho certeza de que muitas pessoas se sentirão estimuladas e encorajadas a fazer cinema. Fica mais palpável se ver que tem alguém conseguindo, porque, até então, era algo mais ideológico. Tivemos muitos incentivos na cidade”, conta, agradecendo a mãe, Isa Soares e aos patrocinadores. “Esse será o primeiro de muitos”, anuncia.

SINOPSES – Com duração de 15 minutos, o drama “A delirante história de um homem morto” retrata a história de um homem que se vê vítima de mentiras e histórias mal contadas, as quais o levam a viver a vida toda preso sob circunstâncias inimagináveis. Um segredo guardado durante anos, uma mãe impondo sua criação e o explosivo momento da verdade que ressalta a linha tênue entre o amor e a obsessão.

Já “Soldado de uma guerra vazia”, que também é um drama e que tem duração de 14 minutos, explora a história de um homem perdido em meio às marcas deixadas pelo tempo e a contínua lutar contra si mesmo diante seus maiores medos.

“Muriaé pelas lentes do tempo” está em exposição na galeria da Fundarte

DSCN2692Oitenta fotos que retratam alguns pontos da cidade no início do século XX até os dias atuais estão em exposição na galeria da Fundarte. De autoria dos repórteres Cláudio Cordeiro e Mariere Mageste, “Muriaé pelas lentes do tempo” ficará exposta até o dia 7 de novembro. A entrega é gratuita.

Na mostra, é possível ver como a evolução dos tempos mudou paisagens do município e, em alguns casos, ainda se mantém um pouco da arquitetura de um quase um século. São 40 fotos antigas e 40 atuais dos mesmos locais e ângulos, que retratam casarões antigos, prédios históricos, igrejas, bairros, entre outros, e mostram as mudanças que a cidade sofreu com o passar dos anos.

DSCN2705

Edital de concurso regional para curtas-metragens é lançado em Muriaé

Edital de concurso regional para curtas-metragens é lançado em MuriaéO Polo Audiovisual volta a movimentar a cena cultural da região com o lançamento do Edital Usina Criativa de Cinema, um concurso de produção de curtas-metragens. O lançamento aconteceu em Muriaé nesta terça-feira (29), no Teatro Municipal Belmira Vilas Boas.

O Projeto Usina Criativa de Cinema busca ampliar e fortalecer as produções audiovisuais realizadas na região. Nessa perspectiva, o edital irá selecionar cinco propostas de obras audiovisuais de curtas-metragens de até 15 minutos de duração, em qualquer gênero (ficção, documentário, animação e experimental), com temática vinculada a aspectos da história e da diversidade cultural regional.

O projeto irá oferecer R$ 25 mil para a realização de cada filme selecionado, além de consultorias técnicas especializadas e suporte em todas as fases de produção. No encerramento, em 2016, uma mostra especial irá percorrer dez cidades locais, onde um júri popular irá eleger o melhor filme do projeto.

O edital completo está disponível no site do Polo Audiovisual www.poloaudiovisual.org.br. As inscrições prosseguem até o dia 20 de novembro.

O concurso de produção de curtas-metragens é uma iniciativa do Instituto Fábrica do Futuro, Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho e Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais e conta com o patrocínio da Energisa, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, e o apoio do Consórcio Intermunicipal de Cultura e Sebrae.

Participaram do lançamento a assessora de Relações Sociais do Grupo Energisa e presidente do Polo Audiovisual da Zona da Mata, Mônica Botelho, o diretor do Polo Audiovisual da Zona da Mata, César Piva, a diretora geral da Fundarte e presidente do Consórcio Intermunicipal de Audiovisual, Gilca Napier, o cineasta e diretor de Audiovisual da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata, Marcos Pimentel e produtores locais.

De acordo com Mônica Botelho, o objetivo com este edital é fazer com que os realizadores locais também tenham chances de mostrar os seus talentos, o que, para ela, é onde podem ser melhor expressados. “A Energisa vem empreendendo um grande esforço em torno da ideia de transformar a região em um polo de audiovisual. O audiovisual pode ser um grande mobilizador de recursos econômicos e financeiros. Então, para além do resultado cultural, o polo pode ser uma grande alavanca econômica para a região”, afirma.

Segundo a diretora geral da Fundarte, Gilca Napier, a expectativa com o edital, para produções locais, é positiva. “Muriaé já tem uma tradição na área do audiovisual e conta com a Escola Municipal de Audiovisual, que dá suporte técnico aos seus alunos. Esperamos que os muriaeenses possam ser aprovados nesse edital”, diz.

Ao final do lançamento do edital foi exibido “Cartas D’Água”, um filme que inaugura uma série de produções da Mutuca Filmes no Polo Audiovisual. Gravado na Zona Rural de Cataguases, o curta tem a direção de Camila Botelho, roteiro de Marco Andrade e a participação de vários artistas e técnicos da região.

Memorial Fundação Cristiano Varella inaugura nova exposição com artistas de todo o mundo

Memorial Fundação Cristiano Varella inaugura nova exposição com artistas de todo o mundoEstá em cartaz no Memorial Fundação Cristiano Varella, a exposição “Conexões – Unidos através da arte”. Na Pinacoteca estão mais de 60 gravuras feitas por artistas de todo o mundo, desde aqueles que vivem próximos à fronteira do Brasil, na Argentina ou no Chile, até aqueles que vivem em outros continentes, como a Rússia, a Finlândia e a Letônia.

A exposição foi criada a partir da premissa de que a arte pode ser entendida de maneira universal, sendo capaz de unir pessoas, superar distâncias e diferenças culturais, e de contribuir para uma cultura de paz e maior tolerância entre os povos. A exposição também trabalha o conceito da “bagagem cultural” de cada indivíduo, que traz consigo um somatório das raízes de seus antepassados com suas próprias lembranças, gostos, línguas e saberes em geral.

2O Memorial Fundação Cristiano Varella funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, e aos domingos das 13h às 17h.

Teatro Belmira Vilas Boas apresenta “Para que não me ames depois” no dia 26

12027347_889002671184591_856490581949581149_oO Teatro Municipal Belmira Vilas Boas apresenta no dia 26 deste mês, às 20h30min, a peça “Para que não me ames depois”. A apresentação é única. A entrada inteira custa R$ 20,00 e a meia, R$ 10,00.

“Para que não me ames depois” traz a reflexão sobre a capacidade de destruição de um preconceito, que pode ameaçar até os laços mais fortes. A história é contada através das memórias de um pai que chora a perda de um filho, e culpado pelo distanciamento dos dois devido à descoberta da sexualidade do rapaz, pede uma última conversa.

“Prêmio de Incentivo ao Patrimônio Cultural de Muriaé” valoriza iniciativas de preservação e divulgação no município

DSC_0031A Prefeitura de Muriaé, a Fundarte e o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural premiaram, pelo terceiro ano consecutivo, seis pessoas por preservarem, valorizarem e divulgarem o patrimônio histórico e cultural de Muriaé. Durante solenidade realizada na última quinta-feira (10), no Teatro Belmira Vilas Boas, foi entregue o “Prêmio de Incentivo ao Patrimônio Cultural de Muriaé”.

Este ano, os homenageados foram premiados em cinco categorias: Responsabilidade Social, Ações Educativas, Bem Imóvel Tombado, Bem Imóvel Inventariado e Patrimônio Imaterial. O prêmio faz parte da política municipal do patrimônio cultural, previsto na Lei Municipal nº 4.491 de 2013.

“Este prêmio é muito importante para toda a comunidade de Muriaé e principalmente para dar exemplo às pessoas da sociedade em geral sobre o valor da conservação da memória da cidade, tanto nos bens construídos, que são os bens materiais, quanto nos bens que são o do saber e o do fazer, que são os nossos bens imateriais. Temos também o prêmio de Responsabilidade Social, que homenageia pessoas que trabalham pela sociedade, promovendo qualidade de vida”, conta a diretora geral da Fundarte e presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural, Gilca Napier.

A arquiteta da Fundarte e secretária do conselho, Flávia de Melo Neves, considera o prêmio de ‘extrema’ importância, pois é um incentivo para a população conhecer sobre o esforço pessoal em manter seus patrimônios preservados. “Uma população que não preserva sua memória não vai saber nunca o seu valor. A cidade deve preservar sua história, para que os cidadãos saibam de onde vieram e também para aprender com os erros e glórias do passado, a fim de se desenvolver. Não existe sociedade desenvolvida no mundo que não preserve sua memória”, afirma.

Antes das homenagens, a professora da Universidade Federal de Juiz de Fora, Mônica Olender, ministrou a palestra “Cidades e Patrimônio Cultural”, que abordou sobre a importância de se preservar o patrimônio histórico e cultural, seja material ou imaterial.

HOMENAGEADOS

•    Fernando Dias Rodrigues – Responsabilidade Social – Obras Sociais Pró-Moradia
•    Adelmir Perna – Responsabilidade Social
•    João Carlos Pereira Vargas – Ações Educativas
•    Affonso Augusto Canêdo Netto – Bem Imóvel Tombado – Residência da Rua Dr. Antônio Canêdo, 70
•    Francisco Assis Matos de Oliveira Filho – Bem Imóvel Inventariado
•    José da Silva Barros – Patrimônio Imaterial – Zezinho do Frango com Quiabo