Dom Reis e os Sinais

Um dia desses me lembrei de Dom Reis. Quem conviveu com ele se lembra bem. Bispo da Diocese de Leopoldina e que sempre participava dos eventos religiosos que aconteciam em nossa cidade, apoiando os padres ou ministrando o Sacramento do Crisma. Sempre austero, sisudo, era dono de suas convicções tradicionais, mas possuidor de uma inteligência ímpar e de uma cultura rara.

Certa vez participei de uma palestra dele sobre os Sacramentos, na qual ele falava da importância dos sinais e os seus simbolismos na vida do homem. Como se fosse uma lição de catequese, ele ensinava que “sendo o homem, ao mesmo tempo, corporal e espiritual, ele exprime e percebe as realidades espirituais por meios de sinais e símbolos materiais. Como um ser social, o homem precisa de sinais e símbolos para se comunicarem uns com os outros, pela linguagem, por ações e também por gestos”.

Sem entrar no mérito dos outros sinais abordados, como a linguagem e as ações, vou me ater apenas à comunicação feita pelo homem através das mãos. Por exemplo: se você levanta o dedo polegar para cima, quer dizer que está tudo bem, mas, se você, ao contrário, vira o polegar para baixo, quer dizer que a coisa anda mal; se você levanta os dedos indicador e o médio, em forma de um V, quer dizer vitória; se você une os dedos indicadores e polegares das duas mãos em forma de um coração, quer dizer eu te amo. Mas se você bate no antebraço com uma das mãos e continua com o punho cerrado, com este gesto, você está sendo mal educado, pois está dando a famosa “banana” para um seu semelhante. Se você sobrepor os dedos indicadores e o médio em forma de uma esteira, isso quer dizer “xilindró” para alguém. Existem até os famosos gestos obscenos…; que, obviamente, não vou dizer quais são.

Se você leitor, já com a sua paciência “torrada” com este texto que não  acrescenta nada aos seus conhecimentos pensou que parou por aí, enganou-se. Porque, se você levantar os dedos polegar e o indicador em forma de L, quer dizer que você é Lula. Aí, você pode estar pensando e exclamando: poxa vida! Já vem este cara de novo falar de política. Pois tem mais: se apontar os mesmos dedos, polegar e o indicador das duas mãos para frente ou par o peito de alguém, aí já é Bolsonaro. Sinal de fuzilamento de pessoas, ainda que criminosas. Sinalizam, portanto, a existência e a característica de dois ícones bem conhecidos da política contemporânea do Brasil; um hospedando por uns tempos na cadeia, e o outro no Palácio do Planalto. Até quando, não se sabe.

Quanto ao saudoso Dom Reis, se ele ainda pudesse ouvir em confissão os pecados destes políticos matreiros que encarnaram este tipo de sinal, sem demonstrar nenhum arrependimento, austero como ele era na sua época, certamente não os perdoaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *