Laranjal recebe o 3º Encontro de Grupos de Folias de Reis

O município de Laranjal, a 32 km de Muriaé, recebeu no sábado (26) a 3ª edição do Encontro de Grupos de Folias de Reis, evento que já virou tradição na região. Cinco folias históricas da cidade realizaram apresentações e centenas de pessoas acompanharam o festival.

O evento foi realizado pela Prefeitura Municipal de Laranjal, através da Secretaria de Esportes, Turismo e Cultura. Para o prefeito Sudário Carneiro, o Encontro traz lembranças especiais. “Desde criança tenho esse costume de acompanhar os grupos de Folia de Reis, por influência do meu pai. Graças a Deus, hoje temos sete grupos de Folia em Laranjal e isso me deixa muito feliz. No dia 6 tivemos uma missa especial, em que o padre falou bastante sobre a tradição católica da Folia de Reis e nos deixa muito felizes ajudar a perpetuar essa cultura”, afirmou.

Responsável pela Secretaria, Ademir Luiz da Silva agradeceu a grande participação da população. “Nós de Laranjal temos o maior carinho por essa cultura, é uma raiz centenária. E de três anos pra cá, estamos buscando cultivá-la, realizando esse encontro sempre no último final de semana de janeiro”, revelou Ademir, que contou ainda que a cidade, de pouco mais de 7.000 habitantes, têm sete grupos de folia ativos e tradicionais.

Ainda segundo Ademir, a participação se estende dentro das famílias. “Não são apenas os homens, são mulheres e crianças também. Como é uma tradição familiar, procuramos incentivar a participação de todos”, disse.

Um dos colaboradores do encontro, Sebastião Francisco da Silva, o popular “Kalé”, contou que também realiza o festival em Leopoldina, já há 36 anos. “A Folia de Reis como conhecemos do Brasil veio de uma tradição de Portugal. Em Leopoldina temos a “Folia dos Medeiros”, da qual participo, que completou 200 anos em 2018. É a folia matriz na nossa região, então é um orgulho participar disso”, revelou Kalé, que também reforçou a importância da juventude conhecer a tradição das folias.

Folias mantém tradições centenárias – Neste 3º Encontro, houve apresentações de cinco folias: Folia do Felismino Torquato; Folia do Arlindo (antiga Folia do Braulino Correa de Bem); Folia do Vaguinho (antiga Folia do Adão Reis); Folia São João e Folia do Bernardo Carneiro, sendo esta última uma das mais antigas da cidade, que fechou o festival.

A maioria das folias participantes possuem mais de 80 anos de tradição, sendo algumas já centenárias. João Batista Novaes (Folia do Felismino Torquato), Arlindo Alves de Souza (Folia do Arlindo), Vagner José da Costa (Folia do Vaguinho), Paulo Roberto (Folia de São João) e Antônio Ferreira de Bem (Folia do Bernardo Carneiro) contaram algumas de suas experiências ao longo de tantos anos de estrada. Mas há um consenso: a amizade entre os grupos fortalece a tradição. “Não fazemos uma competição. A intenção é sempre fazer com que todos melhorem, mostrem à população as suas tradições. Com isso, os mais novos acompanham e conseguem já gostar da Folia de Reis, mantendo esses grupos centenários vivos. O importante é a perpetuação da cultura”, avaliaram.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *