Oficina de Circo-Teatro atrai jovens e crianças e promove arte e cultura no Aeroporto

3Desenvolvido pelo ‘Movimento Pró-Cultura’ em parceria com o Cras-Aeroporto e a Cia. Arteiros Urbanos, e que conta com o recurso da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, ao esporte e ao Turismo Alcyr Pires Vermelho, através da Fundarte e da Prefeitura de Muriaé, a Oficina Circo-Teatro é um projeto atraindo jovens e crianças e promovendo arte e cultura no Aeroporto.

As aulas da oficina, que tiveram seu início em abril, são ministradas para jovens do Cras pelo ator e palhaço Wagner Seara. Os alunos aprendem a realizar um trabalho unindo as habilidades circenses, poesia, música, noções de teatro, atuação e dramaturgia.

Com objetivo de promover a cultura do Aeroporto, ao mesmo tempo em que amplia as possibilidades de desenvolvimento artístico e cidadão da juventude da comunidade, o projeto se aplicou a partir da noção do respeito e integração das novas habilidades com o conhecimento, imaginário e as referências dos integrantes da oficina. Dessa forma, vem garantindo o protagonismo dos indivíduos e do coletivo, enriquecendo o sentimento de pertencimento de cada criança.

Segundo o instrutor, Wagner Seara, a Oficina de Circo-Teatro tem sido um grande sucesso. “Observamos o sentimento de protagonismo dos integrantes da oficina, sendo reconhecidos pela comunidade como realizadores da arte. Temos apenas oito pernas de pau, mas já temos mais do que o dobro de pernaltas praticantes. Estamos introduzindo esse equipamento como um brinquedo, assim como temos feito com as demais habilidades e temos obtido um grande êxito com os integrantes inseridos no projeto, que através do sucesso e do boca a boca positivo, já abrimos uma segunda turma nas manhãs de quinta”, conta Wagner Seara.

Ainda segundo o instrutor, a arte é ferramenta de transformação social e que, segundo Nietzsche (filósofo alemão), aumenta a vontade de potência do ser humano, dinamizando sua atuação no mundo. “E isso podemos notar pela diminuição significativa da violência e linguagem agressiva que esses jovens eram habituados a ter uns com os outros e que com pouco mais de cinco meses de trabalho, já percebemos a mudança. Caminhamos para mais um mês de atividades com a alma ‘alimentada’ pela beleza dos olhares de admiração e as trocas afetivas produzidas pelos lugares em que passamos, que inspiram e nos enchem de esperança. Cada dia temos mais afetos e confiança no grupo que estamos estabelecendo e criando acesso a novos integrantes”, relata.

Os meninos e meninas do projeto já foram protagonistas da arte circense na Mostra das Periferias, Feira de Artes do Aeroporto e recentemente no desfile municipal de 7 de setembro, que sob o olhar de centenas de muriaenses, a turma de pernaltas malabaristas encantou com o tamanho da potência que a arte é capaz de gerar nas periferias. Agora, os alunos se preparam para protagonizar o desfile da Escola de Samba do Papagaio, que tem como tema em 2016 “O Grande Circo da Vida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *