Quatro filmes estão em exibição no Cine Veredas

CINE Veredas - panfleto semanal (1)Quatro filmes, entre animação, drama, comédia e terror, estarão em exibição no Cine Veredas até a próxima quarta-feira (23): ‘O Pequeno Príncipe’, ‘Cidade de Papel’, ‘Ted 2’ e ‘A Entidade 2’.

O preço da entrada inteira custa R$14,00 e a meia, R$7,00. Nas segundas e terças-feiras, todos pagam meia entrada. O Cine Veredas informa que só aceita 15 cortesias por sessão. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 8865-6528.

SINOPSE DE ‘A ENTIDADE 2’ – Courtney (Shannyn Sossamon), uma jovem mãe solteira e superprotetora de dois gêmeos de 9 anos, se muda com os filhos para uma casa em uma área rural de uma pequena cidade. Logo, ela descobre que o local foi palco de estranhos acontecimentos e que sua família está marcada para morrer.

Festa da Colheita de Itamuri acontece neste final de semana

DSC_0104A tradicional Festa da Colheita do distrito de Itamuri será realizada neste final de semana (19 e 20). A programação inclui shows, visitação ao Memorial de Itamuri, cavalgada, contação de histórias, performances de palhaços e churrasco de confraternização.

PROGRAMAÇÃO:

Sábado:
19h – Cortejo da Escola Estadual Coronel Francisco Gomes Campos
20h – Abertura oficial
Visitação ao Memorial de Itamuri na residência do professor Davi
21h – Show da dupla Xandy e Rony
0h – Show com Laura Lima

Domingo:
9h – Saída da cavalgada em frente à Igreja de Nossa Senhora da Glória
9h30min – Contação de histórias e performances de palhaços com a Biblioteca Pública Municipal Vivaldi Venceslaw Moreira e Richard Circus – ‘Projeto Prazer em Ler, Prazer em Conhecer’
12h – Chegada da cavalgada, churrasco de confraternização e show

 

festa da colheita

Deputado Dr. Wilson Batista recebe a “Medalha JK”

Doutor Wilson Batista recebendo a Medalha Juscelino Kubitschek
Doutor Wilson Batista recebendo a “Medalha JK”

O deputado estadual muriaeense, Dr. Wilson Batista, foi agraciado com a “Medalha JK”, honraria concedida pelo Governo de Minas àqueles que contribuem para o desenvolvimento do Estado.

A Medalha JK foi criada pela Lei nº 11.902, de 1995, sendo entregue pela primeira vez em 1996. A cerimônia é realizada anualmente no dia do aniversário do ex-presidente e ex-governador Juscelino Kubitschek, o JK, nascido em 1902 (há 113 anos). Em 2015, comemora-se os 65 anos de sua eleição ao governo do Estado e os 60 de sua eleição para presidente da República.

A honraria é dividida nos graus “Grande Medalha” e “Medalha de Honra”. Entre os condecorados estão personalidades e instituições do cenário político, econômico, social e cultural do Estado e do país. Nesta edição, 86 pessoas e instituições foram agraciadas, entre elas o deputado Dr. Wilson Batista, que recebeu a “Medalha de Honra”.

A solenidade aconteceu no sábado (12), na histórica cidade de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, terra natal de JK e foi presidida pelo governador de Minas, Fernando Pimentel.

“Foi uma grande honra participar de uma festa tradicional que relembra uma parte importante de nossa história. A honraria representa o reconhecimento de nosso trabalho e preocupação em favor da vida do povo mineiro”, afirma Dr. Wilson Batista, que recebeu a medalha das mãos do presidente da Assembleia de Minas, Adalclever Lopes, com indicação do governador Fernando Pimentel.

Escola do Legislativo de Muriaé vai oferecer palestra sobre Marketing Político

Câmara MunicipalA palestra ‘Eleição e governo: a importância do Marketing Político’, proferida pelo jornalista João Henrique Moreira de Faria, marca a inauguração da Escola do Legislativo de Muriaé, no próximo dia 1º de outubro, às 19h, no Plenário da Câmara. A iniciativa é aberta a toda população e tem como objetivo atuar na formação e capacitação dos servidores da Casa, além de oferecer oportunidades à comunidade em geral.

João Henrique é consultor político e coordenador de cursos de pós-graduação em Marketing Político e em Marketing e Comunicação Corporativa, das Faculdades Santo Agostinho. O palestrante tem em seu currículo uma vasta experiência na área política e é também coordenador e consultor em campanhas políticas e em mandatos legislativos e executivos.

“O objetivo fundamental da escola é o aperfeiçoamento técnico e profissional de nossos servidores, mas ela também direcionará suas ações didáticas ao público em geral, até como instrumento para tornar o Legislativo mais ágil e sensível às causas da sociedade”, explica o presidente da Câmara de Muriaé, Joel Morais de Asevedo Júnior.

Ele acrescenta que a abertura à comunidade, como um projeto futuro, poderá vir a oferecer a oportunidade de capacitação para agentes políticos, vereadores, funcionários de câmaras municipais e pessoas que, de algum modo, tenham interesses ligados a políticas públicas e ao Poder Legislativo. Os interessados em participar da palestra vão precisar fazer uma inscrição prévia, através do email: escoladolegislativo@camaramuriae.mg.gov.br. A palestra é gratuita. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (32) 3722-4802.

Obras de drenagem pluvial são iniciadas na Barra

Obras de drenagem pluvial são iniciadas na BarraAs obras do Complexo de Drenagem Pluvial de Muriaé chegaram também à Barra. No bairro, a instalação de manilhas para captação da água será feita em 12 ruas, encerrando o problema de inundações pontuais que acontecem durante chuvas de grande intensidade.

O projeto inclui atividades nas ruas Belisário, Souza Castro, Rui Barbosa, Antônio Laviola, Lincoln Marinho, Victor Hatadeu, Doutor José Eutrópio, Francisco Carlos Machado, Pirapanema e Doutor Antônio Rogério, além da Avenida Monteiro de Castro e da “Praça do Trabalhador”.

“Esta é uma obra muito importante não só para a Barra, mas para toda a cidade, já que, indiretamente, toda a população de Muriaé acaba sendo beneficiada”, afirma o prefeito Aloysio Aquino, que compareceu à Rua Belisário na manhã desta quarta-feira (17) para acompanhar o andamento das atividades.

O trabalho, que teve início na última sexta-feira (11) e deve durar cerca de 90 dias, está sendo executado pela empresa Prefisan – a mesma que também realiza o serviço de canalização do Córrego Santa Rita.

Ação popular pede redução do salário de prefeito, vice e vereadores

alô, alôRepresentantes de vários segmentos da sociedade estão promovendo um abaixo-assinado com o objetivo de colher assinaturas para apresentar à Câmara de Muriaé um projeto de iniciativa popular requerendo redução de 50% no valor do salário do prefeito, do vice-prefeito e dos vereadores, além da extinção da verba indenizatória de gabinete dos parlamentares.

O ponto de coleta de assinaturas está localizado na calçada da agência central da Caixa e atende de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h30min.

Para que esse projeto de iniciativa popular possa ser apresentado à Câmara, o movimento precisar colher aproximadamente 6 mil assinaturas, o que corresponde a 5% do eleitorado do município. É necessário apresentar o número do título de eleitor.

De acordo com o informativo entregue pelos integrantes do movimento, o salário atual do prefeito de Muriaé é de R$28.868,56. O do vice é de R$14.734,10. Já o salário dos vereadores gira em torno de quase R$11 mil. Além do salário, cada vereador tem direito a uma verba de gabinete indenizatória no valor de R$4.707.14.

Brigada de Infantaria Paraquedista fará seleção em Muriaé

Foto: www.bdainfpqdt.eb.mil.br
Foto: www.bdainfpqdt.eb.mil.br

A Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro fará seleção em Muriaé nos dias 5 e 6 de outubro, no Tiro de Guerra 04-016, localizado no CEFAS, na Barra. Conhecida como a “Sentinela da Pátria” e o “Ninho das Águias”, a Brigada de Infantaria Paraquedista, integrante da Força de Atuação Estratégica (FAE), é reconhecidamente uma das forças mais poderosas e letais da nação brasileira.

Sua missão é executar operações de combate para destruir e vencer forças inimigas, podendo empregar o lançamento aeroterrestre e/ou o aerotransporte, participar de operações de amplo espectro integrando forças multinacionais e conduzir operações de garantia da lei e da ordem.

São requisitos básicos para participar da seleção: ser voluntário, solteiro e sem dependentes; ter como escolaridade mínima o nível fundamental completo; ter, no mínimo, 1,68 m de estatura; ser reservista de 1ª ou, excepcionalmente, de 2ª categoria; ter, no máximo, 21 anos de idade, tomando-se como referência a data de 31 de dezembro do ano anterior à reincorporação; ter prestado somente o Serviço Militar Inicial; ter indicação favorável do comandante onde prestou o Serviço Militar Inicial, com estabelecimento de prioridade; não possuir tempo de serviço público anterior; e ser aprovado nos exames médicos e físicos previstos para ingresso na Brigada de Infantaria Paraquedista (idênticos ao da incorporação).

Mais informações podem ser obtidas no Tiro de Guerra pelo telefone 3729-1220.

Deputado Dr. Wilson Batista coordena ciclo de debates sobre Judicialização da saúde na Assembleia de Minas

GeralO aumento do número de ações na Justiça para garantir medicamentos ou tratamento médico foi debatido no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na segunda-feira (14) e terça (15), durante o Ciclo de Debates Judicialização da Saúde. Nos dois dias de evento, autoridades e especialistas discutiram as causas, o impacto no orçamento público e também as possíveis soluções para reduzir o número de processos judiciais.

O deputado estadual Doutor Wilson Batista (PSD), 3º-secretário da Mesa, autor do requerimento que deu origem ao debate e coordenador dos trabalhos justificou que a judicialização precisa ser oportuna. “As pessoas têm que ser atendidas no seu direito à saúde, ou seja, atender a cada cidadão de acordo com a sua necessidade e no momento oportuno, quando há possibilidade do melhor resultado, visando reduzir a necessidade das pessoas terem que recorrer à justiça para garantir o acesso, evitando os atrasos nos atendimentos e os agravamentos de algumas patologias”, enfatiza o parlamentar.

No primeiro dia, pela manhã, o ciclo teve a apresentação do cenário atual da judicialização da saúde, as causas, os efeitos e o perfil das demandas. Minas Gerais, por exemplo, de acordo com levantamento realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG), tem registrado contínuo avanço nos gastos com o cumprimento de sentenças judiciais.

Enquanto em 2009 o valor gasto era de R$ 34,45 milhões, em 2013 alcançou a cifra de R$ 291,70 milhões, o que representa um aumento de 746,7%. Descontando a inflação do período, de acordo com o IPCA, o crescimento é de 610%. Em 2014, pela primeira vez, o número apresentou uma redução: foram R$ 221,93 milhões.

Esse grande volume de despesas revela ainda um outro aspecto debatido no primeiro dia do evento: a atuação do sistema judiciário. Até o final de junho deste ano, de acordo com dados do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), já eram 38.845 ações judiciais. Muitas vezes, os juízes não possuem informação médica ou farmacológica para analisar os processos. Assim, durante o evento, foi debatida a implantação de um serviço de suporte técnico aos magistrados. A iniciativa já está em funcionamento em Minas Gerais, por meio do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde (Nats), vinculado ao Hospital das Clínicas da UFMG.

Outra iniciativa que também foi debatida é a possível criação de uma câmara de mediação e conciliação para tentar resolver administrativamente as demandas judiciais da saúde, antes mesmo que elas sejam distribuídas a um juiz. Estarão em pauta ainda a atuação da Defensoria Pública e do Ministério Público.

IMPACTOS NO ORÇAMENTO – No segundo dia, o debate fez uma análise dos impactos da judicialização na gestão e no orçamento. Além do comprometimento das finanças públicas, também foi discutida a pressão de grupos do complexo industrial da saúde, ou seja, o papel de médicos, laboratórios e escritórios de advocacia nesse contexto.

Também no segundo dia, à tarde, foram discutidas perspectivas e possíveis soluções para o excesso de demandas judiciais na área da saúde. Nesse debate, especialistas de diversas instituições do país vão apresentar caminhos para a redução da judicialização.

CAUSAS DA JUDICIALIZAÇÃO – Autor do requerimento para realização do ciclo de debates e médico oncologista, o deputado estadual Doutor Wilson Batista (PSD) acredita que a judicialização exagerada é um sintoma da fragilização progressiva do Sistema Único de Saúde (SUS). O parlamentar explica que, como a tabela do SUS remunera mal os hospitais pela maior parte dos procedimentos realizados, eles acabam limitando os atendimentos porque, sem isso, acumulariam uma dívida imensa. Situação que gera fila de atendimento, o que faz com que os pacientes recorram à justiça para fugir da espera. “O SUS, às vezes, paga aos hospitais e aos médicos até três vezes menos que o custo real”, diz o deputado.

Doutor Wilson Batista considera que reforçar a auditoria nos hospitais do SUS é outra medida fundamental. “Atualmente, o governo dá R$ 1 milhão para um hospital e não fiscaliza. O hospital embeleza, coloca granito nas alas para atender o paciente particular e o atendimento do SUS continua na porta dos fundos, com paciente na maca quebrada”, critica.