Profissionais de saúde recebem capacitação sobre novas formas de vacinar

Objetivo foi ampliar número de pessoas treinadas para BCG e ensinar outras formas de administrar antirrábica

Novas medidas foram determinadas pelo Programa Nacional de Vacinação para 2019. Deste modo, a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Muriaé em parceria com a Gerência Regional de Saúde de Ubá (GRS) reuniram os profissionais da rede municipal e do Hospital São Paulo, na última semana, para realizarem capacitação sobre as novas técnicas para aplicação de vacinas BCG e antirrábica.

A capacitação foi realizada com o objetivo de ampliar o número de profissionais que saibam aplicar as vacinas de forma correta. “Nossa maior finalidade foi aumentar o número de funcionários que saibam administrar a vacina BCG. O outro motivo foi treinar enfermeiros e técnicos para a forma de administrar a dose da antirrábica via intradérmica. Muitos não sabem que ela pode ser aplicada de forma intramuscular (introduzida dentro do tecido muscular) e intradérmica (superficialmente na pele)”, declarou a técnica de enfermagem do Centro de Distribuição de Vacinas, Aline Freitas.

Outra medida que trouxe mudanças nas regras da vacinação para 2019 foi a Nota Informativa nº 10, da Organização Mundial de Saúde (OMS), que diz respeito às adaptações realizadas quanto à vacinação contra a tuberculose: ‘Crianças que receberam a vacina BCG e não desenvolveram a cicatriz vacinal, não devem ser revacinadas, independente do tempo transcorrido após a vacinação’ (NI nº10).

A vacina BCG é aplicada em Muriaé no Hospital São Paulo e na Unidade de Saúde Barra II. A antirrábica pode ser encontrada também no HSP ou nas UBS’s Barra II e Unidade São Francisco.

Quem pode vacinar?

A vacinação BCG é permitida para recém-nascidos e para crianças menores de 5 anos. Ela previne a doença tuberculose, uma doença infectocontagiosa, que ataca mais comumente os pulmões, mas pode também causar infecções nos ossos, rins e meninges (as membranas que envolvem o cérebro). A dose deve ser dada ao nascer, nas maternidades, ou na primeira visita da criança a um serviço de saúde.

A antirrábica é indicada para a profilaxia da raiva humana. Ela é administrada em pessoas expostas ao vírus da raiva (ex: mordida de cachorro desconhecido ou morcego). Para receber a dose é necessário passar por avaliação médica e receber a prescrição. A imunidade adquirida com a vacinação é de curta duração. As doses são normalmente administradas através de injeção na pele ou no músculo.

Fonte: ASCOM PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *