QUEVEDO, UMA LENDA NA PARAPSICOLOGIA

Embora muitas vezes contestada, a Parapsicologia é uma das ciências mais revolucionárias já surgidas. Nascida da necessidade de explicar aquilo que para muitos seria inexplicável, esta Ciência veio ocupar um espaço importantíssimo na existência humana, desobstruindo a mente (pelo menos daqueles que pretendem entender a verdadeira realidade) dos dejetos das superstições e dos sectarismos de certas crenças.

É claro que muitos mistérios ainda existem e continuarão existindo em nossa trajetória existencial, mistérios que vão demandar muito tempo para serem compreendidos por nós.

Dia 09 deste mês, o mundo perdeu, talvez, o maior pesquisador nessa complicada área do conhecimento, um dos maiores expoentes da Parapsicologia, o Padre Jesuíta espanhol, naturalizado brasileiro, Oscar Gonzales Quevedo.

Oscar Quevedo teve uma infância atribulada na Espanha, seu pai, deputado na Espanha, foi fuzilado pelas tropas comunistas em 1937, durante a Guerra Civil Espanhola. O menino Oscar passou a viver por algum tempo na clandestinidade em seu próprio país escondendo-se em casa de amigos das tropas comunistas que haviam fuzilado seu pai. Depois, fugiu para a Inglaterra, onde foi viver com os tios que o influenciaram no gosto e no estudo do Espiritismo e da Teologia, temas que mais tarde se aprofundaria.

Estudou Filosofia e Psicologia, tendo ingressado mais tarde em um Seminário Jesuíta onde se aprofundaria, além da Teologia, em coisas do Além, Magia e Ilusionismo, como ele mesmo declararia em diversas entrevistas. Após a sua formação Oscar Quevedo veio para o Brasil, onde fundou o “CLAP-Centro Latino-americano de Parapsicologia”, dotando-o de uma das maiores Bibliotecas na área e voltado à análise de casos considerados sobrenaturais

Padre Quevedo, como era conhecido, ficou famoso por desmistificar milhares de “casos sobrenaturais” tirando-lhes o caráter místico e debitando-os a simples fenômenos paranormais.

Quevedo sofreu intensas pressões por parte de alas da Igreja Católica que consideravam a Parapsicologia uma posição herética. Posteriormente foi convidado a expor a sua teoria no Vaticano e a partir da sua ida à Roma a sua teoria foi, não só respeitada, como também obteve autorização para ministrá-la aos padres, nos Seminários.

Oscar Quevedo viajou por inúmeros países do mundo proferindo palestras e analisando casos que eram apresentados a ele. Com residência em Belo Horizonte, Quevedo viajou por inúmeras cidades do nosso país e numa dessas viagens esteve em Muriaé, onde foi recebido por um numeroso público. Lamentavelmente naquele dia eu não estava em Muriaé e não tive a preciosa oportunidade de ouvi-lo expor suas brilhantes e interessantes ideias.

Amigos me contaram, posteriormente, que ele falou de ilusionismo, hipnotismo, e sobre fenômenos paranormais que costumam confundir a mente das pessoas como se fossem fenômenos sobrenaturais.

Dizem que chocou algumas pessoas ao falar sobre as aparições da Virgem Maria, dizendo que a única aparição que ele não conseguia explicar e que intrigava-lhe o espírito como manifestação divina era a de Nossa senhora de Guadalupe, no México. É claro que isso não foi bem recebido por muitos dos ouvintes da palestra. Talvez agora, liberto das limitações corpóreas, o Padre Quevedo possa atingir o entendimento pleno das verdades que tanto procurou em vida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *