Câmara retorna do recesso com aprovação de sete projetos

A Câmara Municipal de Muriaé retornou, na terça-feira (7), do recesso parlamentar de julho.  Os projetos que entraram na Casa durante o recesso foram colocados em pauta pelo presidente Ademar Camerino (PROS), sendo discutidos sete deles. Dentre os aprovados, destacaram-se o do vereador Dr. José Carlos (PSB), que dispõe sobre a assistência a comunidade LGBT na área de saúde e o da vereadora Drª Miriam (PSDB), que trata da obrigatoriedade de se ter, em local visível e adequado, kits de primeiros socorros nos estabelecimentos que exercem atividades econômicas de ginásticas, musculação e afins. Durante a sessão, duas moções de congratulações e aplausos também foram entregues e foi discutida a realização de uma Audiência Pública sobre o Hospital São Paulo.

O projeto do vereador Dr José Carlos (PSB), aprovado por nove votos a favor e seis votos contrários, dispõe sobre assistência à comunidade LGBT na Área  de Saúde.  Para tanto, prevê treinamento dos profissionais de Saúde na Rede SUS (médicos, enfermeiros, odontólogos, psicólogos, etc) para atendimento a Comunidade LGBT em Muriaé. O projeto estabelece ainda que o treinamento seja realizado por docentes com experiência na área de acordo com critérios estabelecidos pela secretaria de Saúde de Muriaé e a identificação dos assistidos será realizada pela secretaria de Desenvolvimento Social.

Profissional da área de saúde, o médico e vereador autor do projeto, acredita que o “treinamento para lidar com  esse grupo específico será muito importante para os  próprios profissionais, como também e, principalmente, para os pacientes LGBT”. Ele enfatiza  que se baseia na Constituição que em seu artigo 1º repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito.

Segundo o projeto da vereadora Drª Miriam (PSDB), aprovado por todos os vereadores na sessão, todos os estabelecimentos que atuam com atividades econômicas de ginásticas, musculação e afins de Muriaé terão que ter em local visível e adequado kits básicos de primeiros socorros durante todo seu período de funcionamento.

Segundo a vereadora, a academia é um local que inspira saúde e bem-estar, entretanto, podem ocorrer pequenos acidentes no exercício das atividades, sendo comum, no dia a dia, a ocorrência de pequenas contusões, câimbras, escoriações, queda de pressão e entorses e tonteiras. Certa de que todos os estabelecimentos devem ter um profissional de educação física em todo o período de funcionamento e que estes possuem treinamento adequado para realizar os primeiros socorros, a disponibilização dos kits pode proporcionar agilidade e eficiência no primeiro atendimento aos clientes.

A lei estipula que cada kit deva possuir seis pares de luvas de procedimento, cinco pacotes de gaze, sendo três do tamanho médio e dois de gaze do tamanho grande, três ataduras, uma tesoura sem ponta, um termômetro, uma caixa de curativos adesivos, um rolo de esparadrapo, um rolo de fita micro porosa, uma manta térmica aluminizada, um frasco de soro fisiológico 250 ml, uma pinça, dez hastes flexíveis com pontas de algodão, uma bolsa térmica gel para compressas quentes ou frias, um aparelho aferidor de pressão digital e um algodão.

Durante a sessão de retorno da Câmara de Muriaé do recesso parlamentar foram entregues duas Moções de Congratulações e Aplausos. Uma do vereador Celsinho (DEM) à Som Taekon-Do Clube e a Escola Dragão Vermelho de Artes Marciais, recebidos pelos grão mestre Edson B. Silva (“SON”) e o mestre Adalto Luiz Afonso em função dos serviços de socialização, respeito, disciplina e competência que presta ao distrito de Vermelho e a toda Muriaé. A outra dos vereadores Dr. José Carlos (PSB) e Celsinho (DEM) ao vice-prefeito, Marcos Guarino de Oliveira, foi proposta como forma de agradecer a dedicação, o respeito e o profissionalismo do servidor, que vêm há 37 anos prestando serviços como pediatra em Muriaé. Esta Moção foi extensiva a todos os profissionais desta área de Muriaé em comemoração ao Dia do Pediatra, comemorado em 27 de julho.

Ainda foi discutida a realização de uma Audiência Pública para tratar exclusivamente da situação do Hospital São Paulo e do pronto socorre da instituição. Os vereadores acreditam que se torna necessário reunir representantes do HSP, dos organismos públicos municipais e estaduais, de entidades diversas e profissionais de saúde para um esclarecimento sobre a real situação dos atendimentos e a busca de soluções para vários problemas enfrentados por ela. A realização da Audiência foi aprovada em plenário, ficando a cargo de a presidência definir uma data adequada para que ocorra.

 

Créditos: ASCOM CMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *