Vacinação contra a gripe termina no dia 5 de junho

Centro de VacinaçãoAproximadamente 61% do público-alvo foi vacinado contra a gripe em Muriaé. Até esta terça-feira (26), 15.810 pessoas tinham recebido as doses (60,82%). A meta é alcançar 80% de cada grupo. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que terminaria no dia 22 de maio, foi prorrogada até o dia 5 de junho.

Podem vacinar idosos acima de 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, crianças na faixa etária de seis meses e menores de cinco anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis.

O grupo de mulheres pós-parto registrou a maior cobertura da vacina, de 86,24%, seguido pelos trabalhadores de saúde, de 74,77%. Entre a população-alvo da campanha, as gestantes são as que menos receberam a imunização (44,99%).

“Pedimos as pessoas que não deixem de vacinar. Como tivemos dificuldades de receber algumas doses no início da campanha, pela falta de vacina, avisamos a população que os PSF’s têm as vacinas”, ressalta a coordenadora de Imunização do município, Rafaela Chiconelli.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano: A/H1N1, A/H3N2 e influenza B. As contra indicações são para pessoas com reação anafilática prévia em doses anteriores, àqueles que estiverem tomando alguma medicação ou que tenham alergia a ovo de galinha. Para vacinar é preciso levar a identidade e cartão de vacina.

VACINA BCG – Segundo a coordenadora de Imunização, não há previsão para a vacina BCG, que previne a tuberculose e deve ser aplicada em recém-nascidos, chegar a Muriaé. “Todos os dias entramos em contato com a Gerência Regional de Ubá para saber as doses já chegaram”, conta.

As orientações para os pais, cujos bebês ainda não receberam a vacina, é não receber visita, evitar lugares com aglomerações, lavar as mãos ao pegar a criança, não tossir sobre a criança, entre outros. “Não é só a BCG que a criança toma ao nascer. A vacina contra a hepatite B é tão importante quanto a BCG”, lembra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *